Page top

OMRON

Brasil

our automation story

Harmonia entre as pessoas e a tecnologia

O robô devolve a bola no lugar fácil de rebater. Por quê?

No início, o robô nem conseguia acertar a bola de tênis de mesa

Assim que começou o desenvolvimento do robô de tênis de mesa, com o cálculo de sensores e controladores, conseguimos fazer com que a raquete se movimente.

Porém, todas às vezes, o robô cortava o ar e não conseguia sequer devolver a bolinha. Entre jogadores humanos é fácil continuar um bate-bola, entretanto entre um ser humano e uma máquina exige uma tecnologia avançada.

O sensor detecta a bola do jogador, e rebate no melhor lugar após realizar o cálculo, movimentando o robô. Para isso é realizado um controle com uma precisão de 1/1000 de segundos.

Yoshiyra Shibata - responsável pelo projeto diz que o mais complicado foi descobrir o motivo do robô errar a bola.

"Não conseguíamos determinar se o problema era no cálculo da posição para rebater a bola, ou se o comando do tempo para rebater estava errado. Entre o comando para rebater e o tempo de transmissão do movimento também há um time lag. Durante esse tempo a bola continua se movimentando. Identificar o motivo do problema, num mundo de 1/1000 de segundos, foi muito complicado."

Uma máquina que calcula onde será fácil o jogador rebater

A grande característica do robô de tênis de mesa está em fazer cálculos e tomar decisões, compartilhando um objetivo em comum com o jogador humano que é o de dar continuidade ao bate-bola, e atingir essa meta.

Para que isso se torne realidade, é necessário que a máquina entenda as condições da pessoa e a ajude, tomando atitudes conforme a situação. O robô ténis de mesa reconhece a posição da raquete do oponente, calcula a posição espacial da bola e realiza a previsão do seu trajeto, controlando o robô em alta velocidade e alta precisão. Caso não consiga sincronizar os movimentos em uma margem de 1/1000 por segundos não acerta a bola.

Desta forma, é preciso jogar devagar para jogadores que devolvem a bola devagar, e um pouco rápido para aqueles que devolvem a bola um pouco rápido. Mesmo sendo um adulto ou uma criança, a bola é devolvida no lugar onde fica fácil para a pessoa rebater.

“Porém, se a pessoa rebate em um trajeto ruim, mesmo calculando que não será possível a raquete alcançar, estica o braço até o limite para uma tentativa em vão. Não seria triste se não houvesse reação?”

Incorporar este tipo de função na máquina faz com que se aproximem das pessoas, para ajuda-las. Os técnicos possuem a opinião de que este é um fator muito importante.

A aproximação das máquinas, fará com que mais pessoas se beneficiem da alta tecnologia

Tomemos como exemplo a máquina que arremessa a bola.

A maioria das máquinas arremessa a bola mesmo quando o rebatedor está amarrando o sapato. Temos que apertar o botão de pausa para arrumar o cadarço e nos afastar um pouco para que a bola não nos acerte.

A automação nos dias de hoje ainda precisa da consideração e colaboração de seus usuários.

“Mas no futuro, somente informando a máquina o que quero fazer será o suficiente para que os diversos tipos de máquinas movimentem da forma desejada. Nós continuaremos desenvolvendo a relação entre pessoas e máquinas, lidando de forma simples teorias complexas.”

Os engenheiros da Omron continuam no desfio para criar o futuro entre as pessoas e máquinas.